Empresas foram notificadas por não oferecer condições adequadas de prevenção e combate aos acidentes. No ano passado, Ministério do Trabalho realizou 385 fiscalizações

O não atendimento as normas para prevenção de acidentes dentro do ambiente profissional resultou, em 2017, em 175 multas a 53 empresas no Amapá. Os números são do Ministério do Trabalho (MTE) e mostram principalmente falhas em programas que possam identificar doenças ou agravos decorrentes do ramo de atuação.

O Governo Federal acredita que os números poderiam ser maiores em função do Amapá ter sido o estado com menos fiscalizações do MTE no ano passado, com apenas 385. Em 2017, foram três acidentados fatais, um em estado grave e 708 autos de infração lavrados em todas as áreas.

O Ministério destaca que os setores da construção civil, transporte de cargas, depósito de estabelecimentos e mineração são os que mais apresentam ocorrências de acidentes com trabalhadores.

As empresas são multadas por não oferecerem políticas para alertar os funcionários sobre a importância da preservação da saúde no ambiente de trabalho. Além dos acidentes, outros problemas psicológicos e físicos podem ser desenvolvidos em função da falta de orientação.

“O foco da nova gestão será a prevenção, com melhorias das ações fiscalizatórias nas áreas de saúde e segurança no trabalho e investimento em qualificação técnica”, declarou o ministro do Trabalho, Helton Yomura, em comunicado enviado à imprensa.

Em todo o país no ano passado foram 78.383 autos de infração emitidos a 19.751 empresas. São Paulo registrou a maior quantidade, com 12.180 registros. Na Região Norte, o Amapá fica à frente de Acre (169) e Roraima (113) no número de multas emitidas após as fiscalizações.

Fonte: G1